A inadimplência no Brasil atinge mais de 40% da população, mas não é por isso que você tem que se acostumar a não receber dos seus clientes. Confira algumas dicas para solucionar a inadimplência no varejo!

Inadimplência no varejo: como solucionar?

A inadimplência no varejo é uma questão que deve ser tratada com todo o cuidado, afinal, nem sempre o cliente inadimplente está agindo de má fé.

Crise econômica, desemprego, dificuldades familiares, entre outros problemas, podem afetar a capacidade de pagamento dos consumidores. Por outro lado, o empresário também tem que receber pelos produtos vendidos, pois é com o dinheiro arrecadado com as vendas que o comércio sobrevive.

Então vem a pergunta: como solucionar essa equação? Pode ser que não haja uma solução definitiva, porém, algumas ações podem ser tomadas para que você reduza a inadimplência dos seus consumidores e consiga aquele fôlego para continuar investindo nos negócios. Confira!

 

Entenda o cenário econômico atual

Compreender como a economia brasileira está se comportando em determinado momento é essencial para encontrar maneiras de reduzir a inadimplência no varejo. Para você ter uma ideia, em março de 2018 mais de 61 milhões de brasileiros se encontravam inadimplentes, o que representa 40,5% da população adulta.

Este cenário serve de parâmetro para pensar em estratégias de precificação mais competitivas e também em formas de pagamento mais seguras para o comerciante, como o parcelamento em cartão de crédito.

 

Crie um score interno

Uma vez que o comprador retira o produto da loja, pague ele ou não as parcelas, você não pode confiscar o bem. Por isso, antes de conceder crédito a um consumidor para a compra de um produto, é necessário avaliar a capacidade de pagamento dessa pessoa, a fim de evitar que seu comércio saia prejudicado com a alta inadimplência no varejo.

Diante disso, é fundamental criar um sistema de pontuação (score) a fim de classificar o risco de inadimplência que cada consumidor oferece ao seu negócio. Essa classificação indica a reputação do consumidor como bom pagador.

 

Defina réguas de cobrança

Réguas de cobrança são fluxos de e-mails e outras comunicações que visam informar o consumidor sobre a dívida e convencê-lo a quitá-las. Com ferramentas de automação de e-mails, é possível acelerar o processo e reduzir os custos com call center e ligações.

A dica aqui é não ter apenas um fluxo de e-mails, afinal, o diálogo com quem atrasou um pagamento por 60 dias é muito diferente da conversa com quem está inadimplente há 180 dias.

Avalie as situações mais recorrentes que o seu comércio tem e crie fluxos personalizados.

 

Automatize os processos

Com o grande volume de transações diárias, é fundamental que todo comércio varejista tenha soluções que automatizem os processos e facilitem o controle de recebíveis, assim como as cobranças.

Você pode automatizar as vendas com cartões de crédito e débito, por exemplo, e consolidar todos os dados estratégicos para o seu negócio em softwares de conciliação de cartões, como o Concil Card.

Por meio de dashboards de controle fáceis de compreender e customizar, você tem, em tempo real, informações como valores recebidos e a receber, divergências de valores, taxas cobradas pelos adquirentes, cancelamentos e chargebacks, entre outras.

 

Humanize o atendimento

Não esqueça que ao lidar com a gestão da inadimplência no varejo, você está lidando com pessoas em dificuldade. Ter isso em mente na hora de contatar seus clientes para realizar uma cobrança é fundamental.

Tentar colocar-se no lugar do outro e encontrar soluções que sejam boas para ambos lados deve ser o seu objetivo.

Gostou dessas dicas? Continue acompanhando o blog da Concil e aprenda muito mais!

 

Controles manuais, erros, problemas de retrabalho e dificuldade de entender a situação financeira da sua companhia? Baixe grátis o nosso e-book e entenda tudo o que uma solução adequada pode fazer pelas suas finanças!